Investidor fica mais seletivo mirando inflação e volatilidade mais altas–gestoras de fundos


Investidores globais estão procurando com afinco bolsões de oportunidade e ficando mais seletivos em suas alocações em renda fixa e ações, disseram alguns gestores de fundos à Reuters, antecipando a volatilidade estimulada pela inflação mais acelerada e pela incerteza em torno da política monetária.

Notas de cem dólares 
03/11/2009
REUTERS/Rick Wilking

Notas de cem dólares 03/11/2009 REUTERS/Rick Wilking

Foto: Reuters

“Há muitas peças móveis globalmente e dentro dos Estados Unidos que devem criar alguma volatilidade e oportunidade em 2022”, disse Lisa Hornby, chefe de Renda Fixa Multissetorial para os Estados Unidos da gestora de ativos Schroders, ao Reuters Global Markets Forum, acrescentando que a “estagflação” está crescendo como um risco potencial.

“Muito poucos mercados parecem baratos agora, há bolsões que ainda oferecem valor, mas esses são poucos e mais espaçados”, disse ela, apontando a dívida corporativa e municipal, que deve se beneficiar das reaberturas econômicas pós-Covid, e títulos de mercados emergentes selecionados.

Da mesma forma, Ashley Fagan, chefe global de ETF, Indexing, Smart Beta Strategic Clients da Amundi, disse ao fórum esperar mais volatilidade macroeconômica e inflação mais alta, defendendo “hedges” como ouro para proteger carteiras.

Enquanto permanece pró-risco, Fagan recomenda posição defensiva na dívida dos governos dos EUA e da Europa, e Hornby, da Schroders, está moderando os níveis de risco em carteiras de renda fixa.

No geral, os investidores estão embolsando lucros nos índices de referência do mercado dos EUA e migrando para ações e ativos financeiros de alta qualidade, disse Fagan, que, na renda fixa, prefere títulos de “duration” (uma medida de risco) mais curta.

A maioria dos investidores espera que o Federal Reserve anuncie uma redução gradual das compras de ativos em sua reunião de novembro –movimento que Hornby já vê como totalmente precificado pelos mercados de títulos, mas há mais incerteza em torno de quando o banco central aumentará as taxas de juros.

As curvas de rendimento dos títulos do governo dos EUA e do Reino Unido se achataram na semana passada, indicando preocupação sobre como os formuladores de política monetária equilibrarão o aumento da inflação com uma frágil recuperação econômica.

Hornby vê o Fed sendo mais cauteloso e mantendo uma política acomodatícia por mais tempo do que os mercados atualmente esperam –portanto, as curvas de rendimento deveriam se inclinar e a taxa do Treasury de dez anos (referência global) poderia ser negociada perto de 1,75%.

Fundos de títulos dedicados a dívidas protegidas pela inflação registraram seus maiores ingressos em mais de dois meses na semana passada, enquanto a BlackRock e a Vanguard anunciaram o lançamento de ETFs de títulos mais seletivos.



LINK ORIGINAL DA MATÉRIA

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Classificados D - Site de Anúncios Classificados Grátis
Logo
Comparar itens
  • Total (0)
Comparar
0
Shopping cart